Facebook

Itararé inicia controle de borrachudo

Ação não era realizada há mais de três anos na cidade


Itararé inicia controle de borrachudo

Nas últimas semanas as redes sociais foram invadidas por reclamações sobre a infestação de pernilongos e borrachudos na cidade. Os alérgicos foram os que mais sofreram com as picadas, na maioria crianças. Dormir e ir para escola sem repelente era impossível.

Marcelo Santos, de 7 anos, precisou até de remédio para controlar a alergia. “Não podemos usar veneno em casa, por causa da alergia respiratória dele, então usamos repelente, que também provoca alergia, mas é menor. Mesmo assim, ele foi picado e como é muito alérgico espalhou pelos braços e mãos. Tivemos que medicar”, contou a mãe, Fernanda.

Mas este problema parece estar com os dias contados. Dalmerson Lopes Machado, veterinário e  um dos responsáveis pela Vigilância Epidemiológica de Itararé, afirmou ao O Guarani que dentro de poucos dias será retomado o controle de borrachudos.

“Foi comprado o produto e será realizada a aplicação, principalmente em rios e corredeiras, onde ficam os criadouros do inseto. Porém, é um processo lento e o resultado efetivo acontece de 45 a 60 dias”, explica Dalmerson.

Todavia, Itararé conta com um empecilho, por estar na divisa com o Paraná, onde a concentração de rios é maior, os agentes ficam impedidos de cruzarem o estado. “A dificuldade de conter o borrachudo é grande justamente por causa da fronteira”, destaca o veterinário.

A infestação recente pode ser atribuída, de acordo com a Vigilância, a interrupção do controle dos insetos nos últimos três anos. Devido ao alto custo do produto, o governo municipal anterior não autorizou a compra, tornando o município um imenso criador de borrachudo.

Pernilongos

A Vigilância Epidemiológica informa que a infestação de pernilongos é muito mais atribuída a limpeza dos córregos e a falta de chuva. Com o entorno dos locais limpos e com a chuvarada dos últimos dias, a quantidade de pernilongos tendem a reduzir.



Data: 07/11/2017